19 de março

Largado por Zoto | largados comentaram ( 8 ) | Visualizações: 65


8 respostas para “TRIBUNA LIVRE”

  1. Anonimo disse:

    casal argentino em Floripa: ih agora o que fazemos, já estamos sem plata.

  2. Anonimo disse:

    quem diria o MAGNÓLIO, o tempo muda as pessoas.
    Entrava ele num supermercado quando um pedinte disse; tio me dá um paozinho…
    Outrora ele diria, tio é o caralho é vai trabalhar vadio.
    Pois não é que esse mesmo Magnólio entrou no supermercado foi direto a padaria pediu um pão amanteigado que não necessita recheio, passou na geladeira pegou um coca-cola pequena geladinha e na saída entregou ao rapaz que pediu e eu só observando.
    As pessoas mudam, tem aquelas que não gostavam de animais e agora não largam dos seus pets.
    Agora tem alguns turrões que não mudam nunca., nem a pau juvenal.

  3. Anonimo disse:

    Algumas coisas subiram de preço, não que falte, mais por causa da procura, falo dos ovos que é o mais simples e oportuno para quem poderá ficar algum tempo sem poder sair.
    Agora a euforia pelo papel higiênico isso é coisa de americano,
    a onda veio de lá e se espalhou, mesmo do álcool gel , se você estiver restrito para que tanta histeria.

  4. Anonimo disse:

    Se você diz , que nada está tão ruim que ainda pode piorar, pois foi o que aconteceu, o tal ” a culpa é do Cabral “é ruim, pois conseguiram piorar com a ‘ Culpa é da Buceta da Carlota”.

  5. Anonimo disse:

    Um enteado veio de NY CONTAMINADO e passou para o padrasto
    que veio a óbito em NITERÓI.

  6. Anonimo disse:

    Jogando uma cruzadinha veio-noiva do mandrake- Narda, será se
    saiu história do casamento do Mandrake, mais o mandrake tinha um bofe que era o Lothar.

  7. Anonimo disse:

    bacalhau à Gomes de Sá — cozido, desfiado e levado ao forno com cebolas, alho, batatas, ovos cozidos duros, salsa, azeitona preta, azeite e vinho branco — será, talvez, o prato mais solicitado nos restaurantes de gastronomia portuguesa durante o fim de semana de Páscoa. Popular depois que criou o prato, o garçom José Luiz Gomes de Sá Júnior — servidor do restaurante “O Lisbonense”, da cidade do Porto, em 1898 — teria se transformado, no Brasil, num vereador ou deputado, no mínimo. Mediante a demagogia de propor “projeto de lei” reduzindo os impostos de importação do peixe, caro para a carteira do povão.

    Essa receita do Sergio da Costa Ramos É muito requintada, posso dizer que um venta furada como eu passa ao largo
    pelo preço, pelo sal, e pelo sei-lá -o-que.
    Mais estamos na quaresma e nessa época, nas sextas feirras muita gente não come carne.
    É uma boa pedida.
    Acho que o vinho deve ser aquele verde que Roberto Leal cantava sempre no programa do Gugu.
    Saudades do Gugu do SS e também do português.

  8. Anonimo disse:

    Certa vez, nessa mesma época o autor já havia nos presenteado
    uma receita de Eça de Queirós, acho que colhido em uma de suas obras, talvez de
    O Primo Basílio“, Luísa é amiga da excêntrica Leopoldina, que gosta de visitá-la só para provar o legítimo Bacalhau à Portuguesa feito pela empregada Juliana.
    Acho que eu tenho um Eça de QUEIRÓS, não o Queirós do hico Anisio ou o amigo, do amigo,do amigo.

Largue aqui