28 de setembro

Largado por Zoto | largados comentaram ( 14 ) | Visualizações: 373


14 respostas para “TRIBUNA LIVRE”

  1. Anonimo disse:

    Bebe,para de mexer no meu bilau.Hojé é segunda.
    Eu sei Damo, eu quero a segunda\.

  2. Anonimo disse:

    O Palmeiras sem, o Dudu e o Deyvinson, é só um time comum, saiu no lucro.

  3. Anonimo disse:

    Até com cem anos serei melhor jornalista que voce, disse
    Renato Mauricio Prado a Rafael Resende que não conhecia passo a não conhecer.

  4. Anonimo disse:

    A GLOBO ontem condenou publicamente um nutricionista em rede nacional.
    Também só sei que em 98, o ato se de fato ocorreu a primeira denúncia teria
    outra nomenclatura jurídica.

  5. Anonimo disse:

    Pai anuncia filha com ex-namorado da sua filha mais velha.
    ENTENDEU, eu não, e nem quero, tá no site da globo.Li só a frase.

  6. Anonimo disse:

    O programa do Silvio Santos de domingo foi a reprise da reprise.

  7. joía disse:

    3-Em homenagem a Renato M.Prado que foi chamado de gagá,
    Beto Canta:
    ninguém viveu a vida que eu vivi Ninguém sofreu na vida o que eu sofri As lágrimas sentidas, os meus sorrisos francos Refletem-se hoje em dia nos meus cabelos brancos E agora, em homenagem ao meu fim

  8. joía disse:

    não falem desse grosso perto de mim.

  9. Zoto disse:

  10. Chibinho disse:

    Renato Maurício Prado depois que foi defenestrado pelo Galvão Bueno e mandado embora foi para seu sítio e abriu um blog mostrando os seus cachorros, porém, virou contratado da uol
    etc e tal.

  11. Zoto disse:

    George Stinney (14 anos) foi executado na cadeira elétrica em 16 de junho de 1944.
    70 anos após a execução, a sentença foi anulada. Stinney foi condenado à morte pelo estupro e assassinato de duas meninas: Mary Ella Thames (8) e Betty Juy Binnicker (11). Os corpos das meninas foram encontrados em uma vala em Alcolu, na Carolina do Sul. Os especialistas descobriram que as meninas foram primeiro estupradas e depois espancadas até a morte. O motivo da prisão de Stinney foi um testemunho confirmando que ele se comunicou com as meninas no dia do assassinato.
    O tribunal considerou o caso de Stinney em 3 horas, nenhum álibi foi levado em consideração. O júri considerou o menino culpado e dois meses depois, em 16 de junho de 1944, na presença da comissão e dos parentes das vítimas, George Stinney foi executado na cadeira elétrica. Em 2013, o advogado da família Stinney, Ray Chandler, e os líderes comunitários locais Burgess e McKenzie, entraram com uma moção para revisar o caso.

  12. Zoto disse:

    Em 17 de dezembro de 2014, 70 anos após a execução, a juíza do Tribunal Distrital Carmen Mullen anulou a sentença executada. No julgamento, o advogado apresentou depoimento dos pais de que o menino estava com eles no momento do assassinato. O depoimento de “Johnny” Hunter, que estava na mesma cela com Stinney em 1944, também foi tornado público, o menino disse que foi forçado a confessar o assassinato, embora não o tenha cometido.
    O veredicto foi cancelado formalmente, mas George Stinney não foi absolvido.
    Em 1988, muito antes do novo julgamento, o livro “Carolina Skeletons” de David Stout sobre a execução de um menino foi publicado, e em 1991 o romance foi filmado.

  13. Anonimo disse:

    lá aos 14 anos era condenado a forca, no Brasil até dezoito e mandado para casa de custódia.

  14. Anonimo disse:

    s servidores federais aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis não precisarão fazer a prova de vida anual (recadastramento) até 31 de outubro. O prazo, que acabaria na próxima quarta-feira, foi prorrogado por instrução normativa publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.
    é mais um respiro, levando-se em conta que no Banco do Brasil
    diz que está suspensa até janeiro.

Largue aqui